segunda-feira, 5 de junho de 2017

COMO TRABALHAR COM JUNIORES?



PRA ISSO VAMOS CONHECER CONHECER UM POUQUINHO ESTA FAIXA ETÁRIA

🍃🌸🍃🌸🍃🌸🍃

Características dos Juniores: 8 a 12 anos

1 – Nessa idade é importante que o professor conheça seus alunos e procure saber dos problemas relacionados a conflitos afetivos no seio familiar. Isso ajudará na resolução de situações comportamentais e também na forma de conduzir o grupo.

2 – A união irá fortalecer todo o desenvolvimento social e espiritual dos juniores. Por isso uma ótima estratégia são as brincadeiras coletivas. Eles trabalharão os relacionamentos dentro da classe e você poderá perceber os primeiros líderes que já estarão ditando normas e procedimentos entre si. Assim também poderão praticar a compreensão, o amor, a misericórdia e a solidariedade entre eles.

3 – Considere entre os juniores o aspecto intelectual e a memória que já estão bastante desenvolvidos.

4 – Os juniores possuem senso crítico, raciocínio e refletem bem isso diante de situações e fatos.

5 – Fazem comparações e deixam de ser muito crédulos, aprendem a julgar o que veem, ouvem e dizem. Compreendem questões em relação ao tempo e ao espaço.

6 – Prepare-se para dar resposta aos “porquês”, para esclarecer dúvidas e controlar o estado de agitação coletiva.

7 – Quanto à vida espiritual eles já apresentam comprometimento maior com o Senhor Jesus. Por isso é importante ministrar o ensino para que a palavra produza compreensão e entendimento espiritual.

8 – O método de ensino deve ser interessante e atual.

9 – Muitos juniores ainda não sabem adorar a Deus de coração. Precisam de ensino nesta área e incentivo.

10 – A disposição das cadeiras deve facilitar a comunicação entre todo o grupo. Deixe um semicírculo com o professor no centro.

11- Do que gostam?

– de jogos em grupo;
– tem amizades favoritas;
– são investigadores;
– fazem imitação realística;
– iniciam fase das dúvidas e perguntas;
– entendem claramente e possuem boa memória;
– possuem boa compreensão das histórias bíblicas;
– estão prontos para conhecer e aceitar Jesus como Salvador;
– as meninas crescem mais rápido;
– meninas e meninos brigam com frequência;
– têm espírito competitivo;
– os relacionamentos são mais complicados;
– já pensam na profissão;
– tem capacidade de expressar-se em público;
– são capazes de expressar sua fé cristã;
– são criativos;
– gostam de ajudar. Aproveite essa fase para introduzi-los no serviço e dons espirituais;
– são afetivos;
– gostam de tratamento especial; não se sentem mais crianças;
– gostam de dramatização;
– sermão ilustrado;
– formulação de jornais;
– discussões em grupo;
– formação de painéis;
– artes;
– musicais;
– concursos bíblicos;
– charadas;
– álbuns;
– desafios em geral;
– memorização;
– trabalhos manuais detalhados.


12 – Nessa idade, o culto e a escola dominical, são de suma importância porque através deles os juniores tem a liberdade de expressar sua fé em público além de adquirir conhecimentos bíblicos que alimentarão o espírito e os prepararão para defender-se do pecado em diversas situações.

13 – As histórias devem ter aplicações práticas.

14 – O envolvimento do professor com a turma é muito importante. Programe passeios.

15 – Incentive a formação de grupos de música, trabalhos com fantoche, teatro, criação de jornais, leitura. Juniores gostam de trabalhar em grupo com ideias diferentes.

Fonte: ensino num click

ENSINO ESPECÍFICO PARA JUNIORES


Joana Troester

Uma idade maravilhosa, alunos que não são mais criancinhas, mas não são moços e moças ainda. APROVEITE!

A. Começa com Alvos para seus Alunos:

1. Salvação de cada aluno.

2. Crescimento espiritual:
a) vida devocional (tempo a sós com Deus cada dia)
b) conhecimento da Palavra de Deus
c) amor para com Deus levando a obediência de Cristo
d) preparado para a luta espiritual em frente.

Você vai planejar sua aula para ajudar seus alunos nestas áreas muito importantes.
* Estamos numa luta espiritual
Estamos em competição com a TV, os vídeos e todas as tentações do mundo (de Satanás). Eles passam muitas horas cada semana sendo bombardeados com tentações que conduzem para o inferno, ou no mínimo, para uma vida frutífera. Planeje bem sua aula. Os poucos minutos que eles tem na sua aula, tem que equipá-los para a luta diária.


B. Preparando para a Aula

1. Comece já no domingo à tarde ou na segunda-feira de manhã, lendo a lição para o próximo domingo.
a) Pode seguir uma revista, mas não seja escravo dela. Use mais a Bíblia e cuide para lembrar dos fatos bíblicos direitinhos!
b) A revista também vai ter alvos, mas não esqueça seus alvos também.

2. Ore por situações vivas para contar aos seus alunos, pois vão mostrar os princípios do qual está ensinando.

3. Procure maneiras criativas para transmitir os fatos bíblicos e também os princípios bíblicos.

4. Ore pela vida de cada aluno, suas necessidades e suas famílias (seja envolvido na vida deles o quanto puder).


C. Lição de Casa

1. Pode usar uma revistinha, mas também inclua uma folha, para eles escreverem o que Deus quer que eles lembrem no tempo devocional.

Explique para seus alunos o que é para lerem a cada dia. Escolha passagens fáceis para entenderem e aplicarem nas suas vidas. Faça um tempo devocional juntos com eles para mostrar como é que se faz, antes de exigir deles.

2. Podem também colocar outras tarefas de “lição de casa” como maneiras de ganhar pontos para um evento especial, pode incluir: versículos para decorar; tarefas para ajudar em casa; serviço na Igreja; serviço para outras pessoas; etc.


D. O Que Eu posso Incluir na Minha Aula

1. Tempo para compartilhar o que Deus está ensinando no tempo devocional. Tempo para compartilhar respostas de oração e pedidos de oração.

2. no tempo da lição guie seus alunos para descobrir os fatos bíblicos... Não dê sempre todos os fatos. Faça perguntas que os ajude a descobrir as respostas na Bíblia. Por exemplo: Quanto tempo Noé e a sua família ficaram na arca?

3. Use figuras: roupão, comida, etc. para colocar sua Classe na situação da lição. Se estiver estudando os filhos de Israel saindo do Egito, deixe todos se vestirem com as roupas de peças que tens na Igreja. “Mate” um cordeiro e coloque o seu “sangue” em volta da porta da Classe. (Seja criativo, pode usar uma ovelha de pelúcia e papel vermelho para o sangue). Escolha um aluno para ser o filho mais velho que vai morrer se o sangue não for visto pelo anjo da morte. Leve para a Classe, já preparado a carne da páscoa (pode ser qualquer carne, menos porco!), com ervas amargas. Deixe seus alunos de pé, comendo as ervas, a carne e segurando o cajado (vassoura na mão). Depois sai com pressa, Faraó disse que deve sair! ...

4. Decore um versículo que encaixe com a lição. Devem saber o significado para hoje, não só as palavras.

5. Faça revisão das outras aulas para dar a seqüência. Pode fazer tipo jogo com perguntas, deixe os alunos colocarem desenhos em ordem, usar tipo linha de tempo com figuras que usam a memória para lembrar o que aconteceu primeiro, segundo, etc.

6. Juniores são capazes de fazerem pesquisas em grupos ou sozinhos para depois compartilharem o que descobriram.

7. Não esqueça de chamar seus alunos pelo nome. Deixe os visitantes sentindo-se muito bem-vindos. Ajude os alunos a serem amigáveis com os visitantes.

8. Começa de ensinar os princípios de Provérbios e os dois tipos de pessoas (sábio e insensato). Ajude-os a saber nas decisões que estão fazendo todo dia, se estão sendo sábios ou tolos.

9. Ajude-os a escolherem heróis para sua vida da Bíblia como: Davi, Daniel, José, Éster, Jônatas, Barnabé, etc... Ajude-os a lembrar que o mesmo Deus que abriu o Mar Vermelho é nosso Deus Poderoso.

Visuais

– Procure ou faça desenhos coloridos.
– Procure materiais para ajudar sua história a ser mais interessante.
– Cartazes como os que você encontra na “A Beka”, manuais, etc.
– Procure figuras de jornais, revistas, livros para crianças, etc.
– Pode suar um tipo de prêmio para quem se comportou, quem falou o versículo, quem trouxe visitantes, etc.


Coisas Especiais
De vez em quando planeje um acampadentro, um acampamento, um passeio, uma atividade para servir a Igreja, uma atividade para fazer um serviço para alguém que precisa, etc.

Planeje uma peça para sua Classe mostrar para a Igreja o que estão estudando.


Seja Sábio

– Guardar alguns minutos para examinar um Provérbio que encaixa com sua lição.

– Ajude os alunos a descobrirem princípios eternos, verdades eternas.

– Não deve ser um exercício de conhecimento somente, mas deve ser passos para obediência, submissão a Deus e vidas transformadas.

– Providencie uma folha ou caderno para eles escreverem o provérbio, o princípio que vocês descobrirem juntos e sua aplicação para a semana. Pode incluir também como o princípio encaixou com a lição.

– Nestes momentos ensino sobre o inimigo que quer que eles esqueçam da Palavra de Deus. Ensine estes fatos sobre como Satanás quer nos enganar. Na escola eles estão sendo bombardeados com humanismo. Deve saber o que é. Humanismo diz que não há Deus, o homem é o centro de tudo, não existe o certo e o errado. Porém Deus nos diz: Deus criou tudo, Deus é o centro do universo, Deus tem mandamentos de princípios que devemos entender e colocar na prática para conhecer o maravilhoso plano de Deus para nossa vida.


Sabedoria
Provérbios 15.33 – temer ao Senhor
Provérbios 28.7 – obedecer ao que está certo
Provérbios 22.3 – esconder-se do mal
Provérbios11.30 – ganhar almas
Provérbios 30.24-25 – preparar-se para o futuro


O Que é Sabedoria?

Provérbios 3.13-15 – Sabedoria tem mais valor do que ___________________________.

Isaías 55.8 diz que a sabedoria de Deus é ________________________ do que a sabedoria do mundo.

No humanismo não existe sabedoria verdadeira. Como é que humanismo afeta seus livros de ciência e história? _________________________________.

Qual é o fim daquele que segue a filosofia do humanismo?
Provérbios 1.24-33 diz: ________________________________________________
ALGUMAS CARACTERÍSTICAS DOS JUNIORES
CORPO:

-crescimento relativamente lento, mas gosta de comer e de se mexer muito. Está juntando energias para a próxima fase, quando acabará o processo do crescimento. Saúde excelente: normalmente não adoece.
- Controle muscular: pode fazer nesta idade coisas que jamais fará na vida de adulto. Gosta de fazer tudo quanto lhe proporciona maior controle e conhecimento.
MENTE:

- gosta de fazer tudo quanto lhes proporciona maior controle e conhecimento;
- tem sede de saber e desejo de aprender;
- gosta muito de leitura - têm boa memória; o que lhe ensinamos agora permanecerá o resto DA vida. A memorização das Escrituras é importante neste período
- É colecionador (selos, fotografias de animais, etc);
- Diferencia entre a realidade e a imaginação;
- Têm muita confiança na sua capacidade de vencer;
- Gosta de geografia e de histórias e de saber o que aconteceu, onde, quando e porquê, pois já sabe relacionar tempo, espaço e acontecimentos.
EMOCIONAL:

- É intrépido: tem muita confiança na sua capacidade de vencer. Não gosta de demonstrações de afeição, mas precisa saber-se querida. A afeição deve ser demonstrada pelo tom de voz e através de nossos atos, em vez de beijos ou abraços. Seu senso de humor vem aparecendo.
VONTADE:

- Rebela-se contra OS "ditadores"; gosta de quem demonstra simpatia e carinho. Deseja direção na vida, que parece-lhe um caminho desconhecido e, às vezes espinhoso.
SOCIAL:

- É competidor, barulhento e briguento
- Fica mais à vontade ao AR livre, onde tem bastante espaço;
- Não aprecia o sexo oposto
- Quer fazer parte DA "roda" - um grupinho de seus semelhantes em sexo e idade que faz coisas em conjunto. Gosta de jogar num "time" - futebol, no caso de meninos. As meninas se reúnem para falar, passear, brigar (e logo voltam a ser amigas novamente)
- Começa a ter senso de responsabilidade, que deve ser encorajado e desenvolvido. Adora heróis - uma atitude dada a Deus aos juniores e adolescentes para fazer com que busquem aquilo que é bom e merecedor DA sua admiração, incentivando-OS em direção a uma vida nobre.
ESPIRITUAL:

- Reconhece o pecado como pecado e sente a necessidade de se livrar das conseqüências. Se ainda não recebeu o Salvador, está na hora de fazer isto. Se já é salvo, é a idade quando deve experimentar pessoalmente a consagração
e a vida vitoriosa;
- Estabelece altos padrões para is e, também, para OS adultos que o rodeiam. Fica decepcionado com qualquer um que não anda de acordo com estes padrões. Ele também não as alcança e sente-se frustrado. Precisa conhecer o caminho DA vitória para evitar tais frustrações e para desenvolver-se espiritualmente.
- Esta é a idade quando devemos apontar-lhe a necessidade de preparar-se para o serviço que Deus quer que faça no futuro e de orar a respeito do futuro companheiro.

Esta é uma idade quando o ensino ministrado deve ser experimentado e comprovado na vida do aluno Por isso, é muito importante que você, como professor empenhe-se no estudo, preparo e apresentação DA lição. Lembrando DA importância em estar orando por todos OS alunos, visitando, acompanhando...

RESUMO:

Fisicamente - valente
Mentalmente - investigador
Volitivamente - independente
Socialmente - expansivo
Emocionalmente - intrépido
Espiritualmente - realista
COMO ENSINAR JUNIORES:

Chave - verificação do ensino, praticando-o

1. Ensino adequado: Os mesmos ensinos e doutrinas apresentados nos anos anteriores. Enfatize a consagração. 
Acrescente:
- O plano de Deus para sua vida.
- Doutrinas fundamentais.
- Memorização de versículos e nomes dos livros DA Bíblia. 
- Geografia bíblica.
- Séries de lições sugeridas: "A bíblia e Eu", "Vida de Josué", "Esther", "O tabernáculo", "Atos I e II"

2. Histórias continuam a constituir bom veículo de ensino. Deve tratar de um HERÓI que soube enfrentar dificuldades e vencer.

3. Perguntas: Inclua um período de perguntas em sua aula. 
Além de perguntar "Onde?", "O que?", e "Quem?", deve-se perguntar "Por que?" E mostrar porque o herói venceu., porque o vilão mereceu ser derrotado, porque o herói não devia ter feito o que fez, porque Deus permitiu certa coisa em sua vida, etc.

4. Experiências e comprovações : 
Esta é uma idade quando as verdades bíblicas e o ensino prático devem ser experimentados e comprovados na vida do aluno. Ao ensinar que é bom ajudar OS outros, deixe OS alunos comprovar este fato Indo ajudar crianças doentes num hospital. Falando no valor de distribuir folhetos, leve o grupo numa tarde à praça para fazer isto. Após dizer que há alegria em levar almas a Cristo, ajude o aluno a ganhar almas, ensinando-o a usar o Livro Sem Palavras e levando-o a fazer o evangelismo pessoal. Ensinando sobre oração, faça com que a classe ore a respeito de assuntos definidos, mencionando as respostas às orações.

Material extraído da Internet e adaptado - desconheço autoria



1. Criança: Um ser inteligente.
2. Observe e atenda as necessidades básicas da criança:
Físicas - Desenvolver seu físico e seus sentidos natos (visão, audição, olfato, paladar e tato). Espirituais - Alimentar através da Palavra, Oração e prática da vida cristã. Intelectuais. Sociais. Emocionais.
3. Use de várias recursos didáticos para desenvolver e atender as necessidades das crianças: Criatividade, disposição.
4. Características das crianças: Agitadas e irregulares Curiosas Imaginativas Afetivas Sugestionáveis e crédulas Vivem no presente em desenvolvimento Instáveis Receptivas Detalhistas Espontânea Egocêntricas.
5. Seis necessidades gerais, segundo Robert Joseph Chour Jr. Uma criança precisa de AMOR Uma criança precisa SENTIR-SE SEGURA Uma criança precisa SENTIR-SE ACEITA Uma criança precisa de DISCIPLINA Uma criança precisa de INDEPENDÊNCIA Uma criança precisa de RECONHECIMENTO DO SEU VALOR
6. Crianças aprendem de maneiras diferentes: Criança visual - ver e escrever Criança auditiva - ouvir e falar Criança tátil - tocar e manipular Criança sinestésica - movimento e participação
7. Sugestões - Dependa completamente do Senhor: Prepare-se bem Lembre-se do contato visual Use e abuse de expressões faciais Uso da voz Faça gestos Coloque-se no lugar do personagem Seja bastante criativo e ousado Motive as crianças Observe a linguagem Utilize várias versões Bíblicas.
8. Utilize e pesquise em outras traduções Bíblicas:
RA - "Comê-lo-eis em todo lugar, vós e a vossa casa, porque é vossa recompensa pelo vosso serviço na tenda da congregação". NVI - "Vocês e as suas famílias poderão comer em qualquer lugar o que sobrar, pois é o pagamento que vocês recebem". NTLH - "Vocês e suas famílias poderão comer dessa porção em qualquer lugar, pois é o salário pelo trabalho de vocês na tenta do encontro".
9. Merecem toda a atenção: 58% da população têm menos de 15 anos 3,5 bilhões da população mundial são formados por crianças
10. O que tem influenciado as crianças: TV Internet Celulares Vídeo games Colegas Vida urbana ou rural Mídia Professores Pais, avós e parentes  Revistas e revistinhas Livros Times de futebol e torcidas organizadas Gangs Ídolos
11. Medite:Rm 12.7 - "Se ministério, dediquemo-nos ao ministério, ou o que ensina esmere-se no fazê-lo".Ec 9.10 - "Tudo quanto te vier para fazer, faze-o conforme as tuas forças",Cl 3.23 - "Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo coração, como para o Senhor e mão para homens".

ESTRAIDO DO SITE:
http://www.centroevangelisticoebg.org/pub/pagina/estudo/p

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Dicas para contar histórias




1 - Preparação do Evangelizador
ü  É importante escolher o enredo de acordo com o objetivo visado, sem misturar os assuntos, tendo um tema específico (se o objetivo é falar sobre oração, não inclua também algo sobre reencarnação, para que a criança entenda bem a idéia proposta);
ü  Quem conta uma história deve conhecer muito bem a narrativa (não decorar, mas saber bem a história); uma boa idéia é contar a história previamente para alguém, solicitando que a pessoa comente a narrativa, auxiliando a suprir erros e lacunas na história;
ü  Com a prática (e o prévio ensaio), é possível diminuir os gestos bruscos, os cacoetes com as mãos e os tiques (Né? Sabe? Então...), adquirindo movimentos tranqüilos e harmoniosos;
ü  O narrador deve passar segurança, por isso não deve iniciar se desculpando por não saber contar direito a história ou por não ter preparado a narrativa. Lembre-se que é possível adquirir a confiança em si mesmo através da prévia preparação e do ensaio da história (as primeiras histórias serão mais difíceis, exigirão um preparo maior, mas com o tempo e a prática as dificuldades tendem a diminuir);
ü   Seja autêntico ao contar a história: não tente fingir alegria ou tristeza, seja natural e sincero, vivenciando aquilo que está sendo narrado;
ü  Quanto mais praticar, melhores ficarão as narrativas. Importante aliar criatividade à humildade e à oração, pedindo auxílio (previamente) ao Espírito Protetor, a fim de que se possa sentir a ajuda do Mundo Espiritual no momento de executar a tarefa;
ü  A linguagem utilizada deve ser simples, correta e estar à altura do entendimento das crianças. Se precisar usar alguma palavra que as crianças possam não compreender o significado, substitua-a por um sinônimo mais fácil ou explique o que quer dizer;
ü  Ao escolher uma maneira para contar a história, é importante analisar o enredo e qual o seu objetivo. Um método bastante usado para integrar os ouvintes é a interrupção combinada, ou seja, o evangelizador deixa previamente acertado que quando falar uma frase específica, as crianças devem responder com uma palavra ou gesto especial (ou então, sempre que indicado pelo narrador, emitem um efeito sonoro de acordo com a história, como por exemplo, o som que faz o animal da história);
ü  Quando for utilizado material ilustrativo ou outro acessório, é essencial treinar a seqüência dos acontecimentos, ligando-os à apresentação das gravuras ou cartazes;
ü  Ao contar uma história, lembre-se que as expressões faciais e gestos são tão importantes como o tom e o som da voz. Aprender a exagerar emoções, desenvolver diferentes vozes e personalidades, contar histórias em "bumerangue", isto é, dialogar consigo mesmo, são recursos valiosos.

2 - Sobre a história
ü  As histórias podem ser reais ou imaginárias. Quando a história for verdadeira (os fatos aconteceram realmente) pode-se salientar o fato, a fim de despertar maior interesse das crianças;
ü  Certifique-se de que a história a ser narrada não é de conhecimento das crianças, evitando o desinteresse e as interrupções de quem já conhece a narrativa. Lembre-se, porém, que crianças com pouca idade gostam de ouvir/ver várias vezes a mesma história ou filme; já as crianças maiores que conhecem antecipadamente a história, se bem orientadas, podem contribuir com comentários, interrompendo apenas nos momentos convencionados.
ü  Uma história é feita de:
§     Introdução: chama a atenção para a narrativa, apresenta os personagens e o ambiente; deve ser curta, mas despertar o interesse dos ouvintes, transportando-os para dentro da história;
§     Enredo: são os acontecimentos crescentes durante a história, até chegar ao clímax;
§     Clímax: é o ápice, o ponto máximo da história; é o momento de suspense em que a criança espera com mais interesse o que vai acontecer a seguir; deve emocionar, sem assustar;
§     Conclusão: é o final da narrativa; deve ser curta e sem explicações acerca da moral da história, pois o ideal é que a criança entenda por si mesma o que se quis transmitir;
ü  A narrativa deve possuir algum drama ou suspense, uma situação que dirija ao clímax e ao final da história;
ü  Os interesses variam conforme a idade das crianças. Assim, no Jardim e Maternal devem ser usadas narrações simples e repetitivas, com ritmos e sons; também é interessante a utilização de crianças e animais como personagens; no 1º Ciclo, são importantes as histórias que incentivem a imaginação e o faz-de-conta, além de aventuras em ambientes conhecidos, como a escola, o bairro, a família; e no 2º e 3º Ciclos as crianças interessam-se por narrativas de aventura, explorações, viagens, invenções, crônicas e contos. Porém, deve-se evitar sempre ironias, sentimentalismos, tragédias e situações que amedrontem;
ü  Uma história bem contada torna fácil a compreensão da mensagem transmitida, ao mesmo tempo que  diverte, se estiver de acordo com o desenvolvimento emocional e intelectual dos ouvintes.

3 – No momento de contar a história
ü  Não inicie a história entrando direto na narrativa. É importante aguçar o interesse e a curiosidade dos ouvintes sobre a história. Isso pode ser feito através de conversações, gravuras, perguntas e outros recursos;
ü  É muito importante que as crianças estejam adequadamente acomodadas e fisicamente bem próximas ao evangelizador. A disposição em semicírculo ou em forma de cineminha são muito utilizadas e eficientes;
ü   Se der branco, continue. Não faça caretas, nem se desculpe. Continue descrevendo detalhes de cores e locais. Isso estimula a imaginação e ajuda a memória. Ou então faça uma pausa, olhando todos nos olhos, como para levantar suspense (não olhe para o chão). Use a criatividade e improvise!
ü  Se a história for lida, sua narrativa deve ser tão animada como se fosse contada espontaneamente.  É importante ler a história diretamente para as crianças, devagar, fazendo pausas e olhando os ouvintes nos olhos. Ao se preparar, o narrador deve ler a história diversas vezes, dramatizando a história, para não deixá-la monótona.

4     - Lembre-se:
ü  A primeira característica de um bom narrador é gostar de contar e ouvir histórias; ele deve sentir a história, emocionando-se com a própria narrativa;
ü  Contar histórias interessantes e educativas que as crianças possam lembrar mais tarde é uma arte que se aprende estudando e praticando;
ü  Uma boa história pode estimular os bons sentimentos, ajudar a desenvolver o intelecto, trazer reflexão e conhecimento, sugerir soluções para os problemas cotidianos e desenvolver virtudes;

ü  O Mestre Jesus ensinava através de histórias, as conhecidas Parábolas, que atravessaram os séculos, e continuam a educar, transmitindo seus ensinamentos de amor.
Fonte:tenho este faz muitos anos em meus guardados por isto não sei a fonte

terça-feira, 21 de março de 2017

Como Ensinar os pequeninos a orar

  •  Versículo: “Tudo que pedir em oração, crendo, receberá” Mt 21:22
 

 Como Ensinar os Pequeninos a Orar?

          Segundo o dicionário Aurélio, oração é: súplica religiosa, reza, prece, discurso, fala.
A oração é uma conversa com o Pai. Todos nós precisamos devemos orar, este é um hábito gostoso e indispensável que devemos ensinar às nossas crianças desde pequenos, pois é através da oração que as crianças são motivadas à:

1-    Reconhecer a presença de Deus
2-   Buscar a benção de Deus
3-   Orar em voz alta e sem inibições.

          No começo do período de oração, procure falar com as crianças sobre diferentes aspectos que envolvem a oração:
a)    O que é oração?
b)   Quem pode orar? (Mt.6:5-15)
c)    Quando orar? (I Tes. 5:17/ Ef.6:18)
d)   Por que orar?
e)   Por que fechamos os olhos quando oramos?
f)    Por que pedimos “em nome de Jesus”?(João 14:13 e 14)

2-   Leia um versículo que fale de oração ou um cântico próprio.

        Papai do céu... (inicia a oração)



Dedo Mínimo: Ora por mim
Dedo Anelar: Orar pelos doentes, pobres e mais fracos
Dedo Médio (o dedo mais alto): Orar pelosos que tem grandes responsabilidades e pode (presidente, governador,etc)
Dedo Indicador: Orar pelos responsáveis por nós (pastores, professores da escola e EBD, líderes de departamento)
Dedo Polegar: Orar pelos que estão mais perto de mim (minha família, meus amigos e meus vizinhos).

3-   Pergunte às crianças sobre as coisas pelas quais elas irão orar, fazendo lista de assuntos de louvor e petições que devem ser mencionados junto a Deus.

4-   Esteja atento para as  seguintes recomendações:
A)  O período de oração deve ser breve
B)   Use palavras simples e frases curtas
C)   Procure motivar a classe (com fotos, livro ou caixinha de oração e agradecimento).

Ajudando a criança a orar em público

1-    Escolha dentre as crianças salvas a mais desinibida e que fala melhor para orar para iniciarem o período, a fim de que as outras se seguem.
2-   Peça-lhes que orem por coisas definidas. Aproveite as situações e experiências que elas contam na classe e sugira que orem por aquilo.
3-   Em cada aula explique um aspecto da oração:
a) adoração (dizendo os atributos de Deus)
b) louvor (o que Ele fez e faz)
c) petição (Deus sabe, mas gosta de ouvir)
d) confissão (confessar nossos erros)
e) intercessão (orar pelas pessoas)

4)Quando o período de oração tiver como aspecto principal do dia da petição, explique-lhes sobre as possíveis respostas de oração. Lembre-se que as respostas da oração são como um sinal de trânsito.
         


Não Tiago 4:3 ESPERE Salmo 37:7 a SIM I João 5:14















Mantenha disciplina neste momento, mostre às crianças a necessidade da oração. Se você mostrar seriedade e destacar o fato de que Deus está presente as crianças reagirão ao clima emocional e espiritual do ambiente.
É através da oração que temos uma intimidade com Deus, seja você o condutor da vida espiritual dos pequeninos. No futuro, elas agradecerão.
           Você sabe o que pode acontecer com uma criança que ainda não sabe as respostas da oração á Deus?

APRENDEMOS :
1-O QUE É ORAÇÃO ?CONVERSAR COM DEUS...
2-ONDE ORAR?EM QUALQUER LUGAR...
3-PARA QUE ORAR?PARA CHEGAR PERTINHO DE DEUS
4-COMO ORAR?COM RESPEITO,DEDICAÇÃO...
5-QUANDO ORAR?SEM CESSAR,TODO MOMENTO....

6-PORQUE ORAR?QUANDO OREMOS DEUS NOS OUVE E RESPONDE NOSSAS ORAÇÕES









Fonte A lição recebi da amiga do Facebook Alê Matte e as figuras peguei na net